Sul do Amazonas

PROJETO ENCERRADO: Apoio ao Desenvolvimento do Manejo Florestal Comunitário e Familiar

Desenvolvendo a cadeia produtiva da madeira de forma sustentável, em Florestas Públicas da Amazônia brasileira

 

Parceiro: IFT – Instituto Floresta Tropical

 

Buscando um olhar integrado sobre os diferentes territórios de atuação do Fundo Vale, a parceria entre o Instituto Floresta Tropical (IFT) e o Fundo Vale tem como objetivo desenvolver o manejo florestal comunitário e familiar em florestas públicas da Amazônia, em três Reservas Extrativistas: Ituxi (Lábrea, Sul do Amazonas), Mapuá (Ilha de Marajó, PA) e Verde para Sempre (Porto de Moz, PA). O objetivo é desenvolver, aprimorar e disseminar modelos de uso dos recursos florestais e promover ações de incentivo à agricultura familiar, como uma alternativa produtiva legal e sustentável, de forma a gerar benefícios socioeconômicos e ambientais para famílias e comunidades rurais residentes em florestas públicas da Amazônia brasileira.

Entre os resultados já alcançados pela iniciativa destaca-se a elaboração do Plano de Manejo Florestal Sustentável da Resex do Ituxi e seu plano operacional anual, possibilitando que os membros da APADRIT (Associação dos Produtores Agroextrativistas da Assembleia de Deus do Rio Ituxi) conseguissem a Autorização de Exploração (Autex), após um esforço iniciado há mais de oito anos pelos moradores e ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). Com o apoio do IFT, o manejo florestal foi licenciado e a Autex emitida. As atividades exploratórias do manejo madeireiro estão previstas para iniciar em agosto de 2015.

Além da assessoria técnica e operacional, o IFT trabalha pelo fortalecimento institucional da APADRIT e dos manejadores (grupo de moradores que realizam atividades madeireiras na Resex Ituxi), com o objetivo de criar uma cooperativa para comercializar a madeira beneficiada, além de outros produtos florestais, como a castanha do Brasil e a copaíba e produtos da agricultura familiar. Todas as ações do IFT no território contam com o apoio e participação de diversas instituições locais, como o ICMBio, APADRIT, CNS (Conselho Nacional dos Seringueiros) e CPT (Comissão Pastoral da Terra). O envolvimento dessas instituições é essencial para a autonomia dos trabalhos e consequente fortalecimento da governança florestal no território.

Já na Reserva Extrativista Verde para Sempre, localizada em Porto de Moz (PA), o IFT já realizou ações de capacitação, treinamento e discussão de modelos de Manejo Florestal Comunitário (MFC). Também apoiou associações comunitárias dentro da Resex na elaboração de documentos técnicos indispensáveis para o licenciamento da atividade madeireira, como o Plano de Manejo Florestal Sustentável (PMFS). Na frente do fortalecimento da governança florestal local, tem apoiado o Grupo de Ação e Reflexão Florestal – espaço interinstitucional criado em 2011 pelo ICMBio, SFB (Serviço Florestal Brasileiro), CDS (Conselho de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz) e o próprio IFT – convidando outras instituições que atuam no território a fazerem parte do coletivo.

O blog Observatório Florestal complementa as ações em campo, promovendo a divulgação de textos, áudios e vídeos sobre as boas práticas de manejo florestal comunitário e familiar na Amazônia, por meio de uma plataforma online de produção de conhecimento. Com essa ferramenta, espera-se disseminar as atividades e os resultados das ações de manejo florestal realizadas por pequenos produtores e comunidades tradicionais, servindo de referência para futuras e novas iniciativas.

Ficha técnica:

Objetivo geral

Apoio ao Desenvolvimento do Manejo Florestal Comunitário e Familiar em Florestas Públicas da Amazônia Brasileira

Início

Janeiro de 2013

Duração

30 meses