Costa Amazônica

Mapeamento de cadeias de valor da pesca artesanal na Costa Amazônica: estado atual e perspectivas de fortalecimento

Unesco_DSC_0084


Na Amazônia, a pesca artesanal é uma atividade de extrema importância para a subsistência, cultura e renda de povos indígenas e comunidades tradicionais. Atualmente, diversos gargalos dificultam a estruturação e o desenvolvimento das Cadeias de Valor da pesca artesanal.

Em Julho 2015, a Conservação Estratégica (CSF) iniciou o mapeamento das  cadeias da pesca realizadas por comunidades tradicionais na costa da Amazônia brasileira: o camarão regional no Amapá e Pará; camarão piticaia e branco no Maranhão e do caranguejo-uçá no Pará.

O mapeamento da cadeia de valor é um diagnóstico que avalia o estado atual da cadeia e analisa o que vai bem e o que poderia funcionar melhor na produção, beneficiamento e comercialização do pescado da comunidade. Tem por objetivo entender quem são os atores/ elos da cadeia (pescadores, atravessadores, comerciantes, consumidor final, prestadores de serviços, órgãos de assistência e reguladores, etc.) e seus papeis respectivos; quais são suas atividades e seus gastos e ganhos; quais são os fluxos de produção; quais são os preços de venda desde o pescador até o consumidor final; etc.

Espera-se trazer informações que poderão ajudar as comunidades, comerciantes, beneficiadores, organizações públicas e da sociedade civil, Unesco e parceiros, a elaborar políticas e ações que visam fortalecer a pesca como uma fonte de renda sustentável. Como a pesca tem um papel central na cultura da região, é de suma importância manter suas contribuições para conservação dos ecossistemas costeiro e marinho na Costa Amazônica.

Este mapeamento faz parte do projeto “Apoio à construção e consolidação de cadeias produtivas sustentáveis da pesca artesanal costeira da Amazônia brasileira“, coordenado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em cooperação com  o Fundo Vale.

 

Principais atividades:

  • Realização de 3 oficinas de mapeamento das cadeias de pesca junto às comunidades de pescadores da região costeira dos estados do Amapá, Pará e Maranhão.
  • Mapeamento das cadeias produtivas da pesca de camarão piticaia ou sete barbas, camarão regional e caranguejo da costa amazônica.
  • Identificação de gargalos e oportunidades de desenvolvimento dessas cadeias produtivas.

 

Parceiros locais: COOPERAF (Cooperativa de Pescadores de Camarão), ATAIC (Associação dos Trabalhadores Artesanais da Ilha das Cinzas), Ministério da Pesca e Aquicultura, Ministério do Meio Ambiente (ICMBio/ CEPNOR), secretarias de meio ambiente, pesca e aquicultura dos municípios e estados abrangidos, UFPA (Universidade Federal do Pará), IFPA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará), UNAMA (Universidade da Amazônia), UFRA (Universidade Federal Rural da Amazônia), UNIFAP (Universidade Federal do Amapá), UEAP (Universidade Estadual do Amapá), IFAP (Instituto Federal do Amapá), UFMA (Universidade Federal do Maranhão), UEMA (Universidade Estadual do Maranhão), Embrapa, IEPA (Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá), Instituto Peabiru, Museu Parense Emílio Goeldi e Conselho Pastoral dos Pesadores (CPP).

 


Foto: arquivo Unesco


 

Ficha técnica:

Objetivo geral

Entender quem são os atores e elos da cadeia, seus respectivos papeis, dinâmica econômica e financeira, bem como fluxos de produção.

Início

Julho de 2015

Duração

12 meses