Durante o ano de 2016 o IEB realizou um conjunto de ações visando qualificar a situação atual das cadeias de valor do agroextrativismo no sul do Amazonas, com apoio do Fundo Vale. O objetivo foi construir bases para uma estratégia de fortalecimento das cadeias de valor mais importantes para a população agroextrativista e indígena da região. O resultado foi uma série de notas técnicas sobre o agroextrativismo neste território. Fechar

20 de Março de 2016

Indígenas querem aumentar coleta de sementes florestais em 2016 no Xingu

Reunidos na aldeia Santa Cruz (MT), com danças e cantos para reafirmar a amizade e comemorar a chegada da equipe técnica do Instituto Socioambiental (ISA), o encontro de planejamento da Associação Rede de Sementes do Xingu levantou o potencial de produção para ano e possibilitou a troca de conhecimento.

 

Foto: arquivo ISA/Tui

Seu João Botelho e Dona Natalice, da Rede de Sementes do Xingu, coletando frutos de mutamba


As sementes ouvem? Para o cacique José Guimarães Tserenhomo (Sumené Xavante), líder da aldeia Santa Cruz (Ripá), localizada na Terra Indígena Pimentel Barbosa, interior de Canarana-MT, sim, as sementes ouvem. Sumené Xavante explicou para os técnicos da Associação Rede de Sementes do Xingu (ARSX), durante reunião de planejamento de coleta de sementes, que a pessoa não pode ficar preguiçosa para plantar e nem dizer que não quer plantar, porque neste caso não vai nascer.

A reunião aconteceu na aldeia Santa Cruz no dia 03 de março e foi uma festa. Danças e cantos para comemorar a chegada da equipe técnica do Instituto Socioambiental (ISA). Presentes para reafirmar a amizade e mais danças e cantos antes da partida. A reunião também possibilitou troca de conhecimento, entre os técnicos e os Xavante. O técnicos passaram informações sobre a cadeia que envolve a produção de sementes e o cacique Sumené com suas histórias como as sementes que ouvem.

Na reunião também é levantado o potencial de coleta para o ano que se inicia. Sarah disse que os Xavante da aldeia Santa Cruz no levantamento do potencial para este ano demonstraram bastante interesse pela coleta do murici. Para este ano, a previsão é de um aumento significativo na coleta, seja pela organização da aldeia, bem como pelo apoio técnico que será intensificado para o grupo.

Leia na íntegra em http://sementesdoxingu.org.br/site/indigenas-xavante-da-aldeia-santa-cruz-querem-aumentar-coleta-de-sementes-florestais-em-2016/


Texto e fotos: Rafael Govari – ISA